Como permanecer Natural – Amor Próprio e Preservação

by angolanasnaturais2011

“Como permanecer Natural” …. Ok, a maioria de vocês esta a perguntar-se: “Quem é esta a tentar dizer-me como ficar natural? Eu já sei disso! “Bem, você provavelmente sabe ,MAS! Não sem problemas. Eu sou natural a 19-20 anos (e uso locs a 13 anos). Neste tempo eu vi o cabelo natural que vem, e vai, re-inventa-se, e re-energizar-se, e a re-edificar-se. Eu tenho visto as acções judiciais em todo o país através das notícias; as questões da auto-estima das mulheres que sobem e descem, a política do cabelo “bom” versus “ruim”, as conotações negativas e as grandes afirmações.

A “irmandade” parece ser um clube do qual você automaticamente torna-se membro quando você começa a transição de desfrisado ao natural. A chave é que você tem que seguir com sua jornada para ser um membro “oficial”. Com isso dito, não nos esqueçamos que o nível de consciência de todos não é o mesmo. Muitas mulheres fazer a transição como um ritual de passagem para a autoconsciência, outras para o estilo, enquanto que para outras é devido a problemas de saúde. Ver mulheres que parecem-se connosco, apresentando confiança e tranquilidade, da uma visão para o que você quer e você esforça-se a ser uma mulher – uma mulher natural. No final do dia percebemos que também somos bonitas, para não dizer mais bonitas naturalmente.

Levei um tempo para escrever este blog, porque eu não queria ofender ninguém com as minhas palavras. Mas eu tenho a convicção da verdade das minhas “raízes”, por isso a minha paixão evidencia-se. Ter o cabelo natural para mim não é apenas uma extensão da minha personalidade. Ele define o meu lugar neste mundo e no meu trono. Ainda que eu seja parte de uma grande maioria negra, eu ainda sou uma minoria sendo natural. Não posso aceitar como minha o que eu vejo como norma quando eu sei o que é certo para mim. Não há substituição para o meu caracol, as minhas bobinas, e os meus torções. Eu vejo as mulheres comprar cabelo que eles nunca irão possuir, e me pergunto: “Por que”?

Eu entendo que tudo é uma opção, mas não com o propósito de ocultar ou comprometer o que você é na realidade para o bem da maioria. Acredito que quando as mulheres de cor perceberem que elas são bonitas; individual e colectivamente, estaremos a criar uma melhor situação para todas. PARE com o ódio! Ame-se! Só depois é que poderão amarem-se uns aos outros! Definir as suas existências. Sendo uma “pessoa de cor” já tem a sua própria política, adicione o assunto do cabelo e torna-se tudo num movimento muito maior!

Depois de mais de 400 anos, a escravidão deixou as mulheres de cor com o resíduo da escravidão mental. Tornando-se natural permite-nos quebrar uma parte desses grilhões. Quer gostemos ou não de ser natural, isso nos permite de fazer declarações silenciosas que comandam e exigem respeito e atenção.

A preservação está dentro de si mesmo. Enquanto nós odiar-mos uns aos outros e a nós mesmos, e não abraçar-mos o estilo de vida (não só o estilo) de ser natural, vamos continuar a cair nas garras da mentalidade de escravo.

Queridas, através de nossa jornada natural, devemos lembrar que uma mesma coisa não serve a todos! Em outras palavras, as jornadas de todos nunca mais será a mesma …. talvez semelhantes, mas nunca a mesma. Aproveite da sua jornada. Desfrute da energia. Aprecie a camaradagem e irmandade. Aproveite a vida. Acima de tudo, reconheça que você é Única e Linda.

Lembre-se de todos aqueles que têm algo negativo a dizer sobre a ondulação ou carapinha que você possui, eles secretamente têm medo, e admiram a sua coragem e beleza, e querem saber se eles também teriam a mesma dedicação que vocês demostram! Quando essa pessoa decide que eles estão prontos para essa jornada, é seu dever, como companheira e irmã de ensinar, esclarecer, e abraçar o próximo.

http://www.kinnks.com/blog/index.php/site/how_to_stay_natural/